ARTIGO: A Barreira dos Módulos de 4GB

Atualmente os 4GB de RAM se tornaram uma barreira para a RAM, dificilmente encontramos PCs populares com esta quantidade de RAM, e nunca encontrei um PC de baixo custo, sem upgrades, com mais de 4GB. Esta quantidade deverá ser um padrão por alguns anos, e mesmo quando for quebrada, pouca coisa mudará. Entenda o porque desta barreira neste post.

dimm1

No quesito memória RAM, atualmente estamos em uma era de transição. Assim como aconteceu com as SIMM, DIMM e DDR, as memórias que usualmente encontramos facilmente hoje, as DDR2, em algum tempo, sumirão do mercado. Nada dura para sempre, e no mundo da informática, nada dura por mais que alguns anos…

No padrão atual (DDR2), não se conseguiu fazer ainda um módulo de 4GB comercialmente viável, sendo 2GB por módulo, o máximo encontrado em PCs atuais. Mas mesmo com o padrão DDR3, a quantidade de RAM em cada módulo deve demorar a ultrapassar a marca de 4GB (capacidade teórica máxima de um módulo DDR2 viável para comercialização), sua única vantagem em relação ao DDR2 ficaria seria o desempenho. Isto porque usuários domésticos dificilmente necessitarão de uma RAM maior que 8GB (2x4GB DDR3). Esta barreira, pode ser comparada ao tamanho de uma mesa em um escritório, não adianta a mesa ser gigante se você não necessita do espaço todo. Então, até que tenhamos uma grande nova revolução na informática (como ocorreu com a substituição do terminal pela interface gráfica), dificilmente um PC passará a ter mais que 8GB de memória RAM

Além da questão de inutilidade de uma grande quantidade de memória RAM, outro fator que atrasa a comercialização a baixo custo de módulos de 4GB são as limitações do Windows, onde as versões domésticas, tem o suporte para no máximo 3,3GB de RAM. Existem versões que suportam até 128GB de RAM, mas estas necessitam de processadores, drivers e aplicações específicas, os famosos sistemas de 64 bits, que, com excessão de pessoas que trabalham no PC, poucos usam. Esta tecnologia será um padrão em alguns anos, mas atualmente ela está sendo deixado de lado pela maioria das fabricantes por sua necessidade de softwares específicos, “tudo é imcompatível”, por isto, atualmente, PCs de baixo custo incluem um processador de 64 bits, mas o sistema operacional continua sendo 32 bits, inutilizando os recursos de 64 bits do processador.

A causa pelo não uso de sistemas de 64 bits em PCs de baixo custo é que, geralmente quem está a comprar um destes, é um usuário leigo, e logo ele não saberá procurar, baixar e gerir um sistema de 64 bits, então, os PCs vem com suporte, mas o recurso é desativado, para que, somente os que quiserem (e souberem o que estão fazendo) o usem.

Então, até que o padrão de 32 bits seja deixado de lado por todos os fabricantes, e os sistemas de 64 bits não se tornem uma realidade comum, a comercialização de módulos com mais de 4GB será inviável, criando mais um obstáculo para a quebra desta barreira.

Abraços a todos, espero que tenham gostado do artigo.
Qualquer dúvida só deixar um comentário ^^
E só para constar, devo estar criando enquetes para o blog ainda hoje…

2 Respostas

  1. Existe DDR2 de 4GB sim, até mais, de 8GB. São modulos chamados de “registered”, usado em servidores. Para funcionar em PCs, o chipset precisa suportar módulos registered e o tamanho dos módulos. Chipsets de alto desempenho, usados em workstations, constumam ter suporte. Chipsets mid/low-end não.

    Depois das tecnologias EDO, SDR, DDR, DDR2, no mercado de PCs virá DDR3. No ramo dos servidores, onde é comum quantidades enormes de RAM, 16GB, 32GB, o mercado está migrando para FB-DIMM.

    A limitação de 3,12~3,3GB de memória disponível não é do Windows, mas sim de qualquer sistema operacional que use o conjunto de instruções IA-32 (32bits). O Linux e BSDs sofrem, portanto, do mesmo problema.

  2. “Existe DDR2 de 4GB sim, até mais, de 8GB. São modulos chamados de “registered”, usado em servidores. Para funcionar em PCs, o chipset precisa suportar módulos registered e o tamanho dos módulos. Chipsets de alto desempenho, usados em workstations, constumam ter suporte. Chipsets mid/low-end não.”

    Sim, mas isto entra no ramo de servidores, e não são viáveis para a comercialização em PCs de baixo-custo, e até porque como digo no tópico, com excessão de alguns nichos, 8GB será um limite, e módulos maiores que 4GB serão praticamente ignorados.

    “A limitação de 3,12~3,3GB de memória disponível não é do Windows, mas sim de qualquer sistema operacional que use o conjunto de instruções IA-32 (32bits). O Linux e BSDs sofrem, portanto, do mesmo problema.”

    Sim, eu estava criando um outro tópico sobre sistemas de 64bits explicando melhor (mais tecnicamente) esta limitação, mas estou meio sem tempo, tá lá na pasta de drafts…

    Nem tinha reparado que havia escrito “Windows”, tanto que no final já estava escrevendo “sistemas de 32 ou 64 bits” vlw pelo toque!

    Abraços, continue visitando, comentando e dando suas opiniões!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: